Imagem Audiência pública marca comemoração dos 80 anos da presença dos Capuchinhos em Conquista

Audiência pública marca comemoração dos 80 anos da presença dos Capuchinhos em Conquista

Câmara de Vitória da ConquistaAudiência PúblicaNotíciaLuis Carlos DudéLúcia RochaEdjaime Rosa - BibiaChico EstrellaNildo FreitasRicardo Babão Subtenente MunizDelegado Marcus Vinicius

11/10/2021 18:25:00


Uma audiência pública itinerante marcou a homenagem da Câmara Municipal a quase um século de presença dos Frades Menores Capuchinhos em Vitória da Conquista. O evento aconteceu na tarde desta segunda-feira, 11, no Colégio Paulo VI, no bairro Brasil, instituição fundada e administrada pelos Capuchinhos. A proposta da audiência é do vereador e presidente da Casa, Luís Carlos Dudé (MDB), e contou com a aprovação dos demais parlamentares. 

Participaram da audiência os vereadores Nildo Freitas (PSC), Ricardo Babão (PCdoB), Chico Estrella (PTC), Lúcia Rocha (MDB), Edjaime Rosa Bibia (MDB), Delegado Marcus Vinicius (Podemos) e Subtenente Muniz (Avante); a prefeita Sheila Lemos (DEM), e representantes da comunidade católica. 

Dudé entregou à Ordem um levantamento histórico sobre a presença dos Capuchinhos em Conquista, realizado pelo jornalista e historiador Fábio Sena. O presidente da Casa ainda entregou homenagens à pessoas que contribuíram com a jornada dos Capuchinhos no município.

Dando início à audiência pública, o presidente da Câmara Municipal ressaltou a importância dessa comunidade eclesiástica para o desenvolvimento da Zona Oeste. Ele ainda homenageou o Frei Benjamim, destacando o protagonismo desse líder religioso na expansão do bairro Brasil. “Gerson Sales deu o nome do Frei Benjamim à maior avenida que temos na Zona Oeste, prestando essa homenagem a ele, ainda em vida, reconhecendo sua importância”, lembrou Dudé.

Logo em seguida, o presidente compôs a mesa que conduziu o debate da audiência pública, convidando a prefeita Sheila Lemos (DEM), o pároco Frei Sebastião Dias Mendes, o Frei Gilson de Jesus Marinho, padre Frenilson da Conceição Brito, que representou o Arcebispo Dom Josafá Menezes, o diretor do Colégio Paulo VI, frei Delvair Matos, e os vereadores. 

Frei Sebastião frisou que a audiência marca um momento significativo da Ordem, quase um século dos Frades Capuchinhos em Vitória da Conquista. Ele destacou a atuação da Ordem em diferentes segmentos da sociedade conquistense, como o social e a educação. O frei ainda fez uma síntese da trajetória da Ordem em Conquista, desde sua chegada em 1941, quando os Frades Capuchinhos assumem a Paróquia Nossa Senhora das Vitória e recomeçam a construção da catedral. 

  • 1941 - Os Frades Capuchinhos assumem a Paróquia N. Sra. das Vitórias.  Frei Egídio de Elcito recomeça os trabalhos de construção da Igreja Matriz N. Sra. das Vitórias.
  • 1943 - Bênção do novo sino de 152 quilos da Igreja Matriz N. Sra. Vitórias.
  • 1944 - Concluída a pintura da Igreja Matriz N. Sra. das Vitórias.
  • 1947 - Toma posse como Pároco da Paróquia N. Sra. das Vitórias Frei Miguelângelo de Cingoli, dando continuidade à construção.
  • 1948 - Bênção de inauguração da Igreja Matriz N. Sra. das Vitórias por Frei Egídio de Elcito, representando o Arcebispo da Bahia.
  • 1956 - Frei Benjamim assume como Pároco da Paróquia N. Sra. das Vitórias e começam as primeiras providências para instalação da Futura Diocese: Casa Episcopal / Casa para Cúria Diocesana / Organização do Laudêmio / aquisição de terreno para construção do Seminário da Diocese.
  • 1957 - Os Frades adquirem o terreno para construção do futuro Convento de N. Sra. de Fátima com início da construção em 21 de março do mesmo ano.
    - Os Capuchinhos iniciam as atividades educacionais com 150 alunos do ensino primário, dando início a futura Escola Centro de Assistência Social N. Sra. das Vitórias.
  • 1958 - Instalada a Diocese e posse de Dom Jackson Berenguer Prado.
    - Os Capuchinhos continuam prestando serviços pastorais na Catedral, auxiliando os primeiros passos da nova Diocese e fazendo o trabalho de construção do Convento.
  • 1960 - Instalação da Paróquia N. Sra. de Fátima, a primeira do lado Oeste da Cidade.
  • 1961 - Início da Construção da Igreja Matriz N. Sra. de Fátima, com objetivo de torná-la Santuário.
  • 1962 - Criação do Lar Santa Catarina de Sena, com grande colaboração de Frei Benjamim, com início da construção das acomodações para Internato de meninas.
  • 1964 - Término da Construção e Bênção da Igreja Matriz N. Sra. de Fátima por Dom Caetano, Bispo de Ilhéus.
  • 1967 - Os Capuchinhos abriam as portas para a mocidade estudantil agora com o nome “COLÉGIO PAULO VI”.
  • 1976 - Criação das Paróquias: São Sebastião (Belo Campo), São João Batista (Anagé), desmembrando da Paróquia N. Sra. de Fátima.
  • 1982 - Vitória da Conquista - Criação da Paróquia Rainha da Paz, desmembrando da Paróquia N. Sra. de Fátima.
  • 1997 - Vitória da Conquista - Criação da Paróquia Santa Luzia, desmembrando da Paróquia N. Sra. de Fátima.
  • 2020 - As Comunidades Rurais Fazenda Baixão, Vila Verde e Periperi, pertencentes à Paróquia N. Sra. de Fátima, são incluídas na Área Pastoral Bom Jesus.
  • 2021 - Na Paróquia N. Sra. de Fátima, a Ação Pastoral Missionária dos Frades Capuchinhos se estende a 15 Comunidades Urbanas e 48 Comunidades Rurais, bem como, 35 Grupos / Movimentos / Pastorais.
  • 2021 - Prevista a instalação da nova Paróquia Sagrado Coração de Jesus, em novembro, com Comunidades do Setor Mãe da Divina Graça.
    - Prevista a Ordenação Sacerdotal de Frei Icaro Brito e Frei Rafael Froes como fruto da Evangelização dos Frades Capuchinhos em nossa Paróquia, como tantas outras vocações surgidas em nossa Paróquia. 

O diretor do Colégio Paulo VI, Frei Delvair Matos, destacou a presença Capuchinha em Vitória da Conquista, afirmando que essa caminhada marca não só a comunidade eclesiástica, mas toda a cidade. “Os frades, além de evangelizadores, foram importantes vetores da evolução socioeconômica da região”, afirmou. Nesse sentido, ressaltou o papel do Colégio Paulo VI nesses 65 anos de atuação no município. “O colégio Paulo VI manifesta sua gratidão a esta terra tão amada pelo acolhimento aqui encontrado desde sempre”, pontuou.

Padre Frenilson da Conceição Brito afirmou que se trata de um momento de celebração e agradecimento. Ele relatou que cresceu com os ensinamentos da Paróquia de Fátima, o que o motivou a uma vida sacerdotal. O padre desejou vida longa à Ordem que, segundo ele, é uma presença que anima a viver a vocação de servir.  

O presidente Luís Carlos Dudé quebrou o protocolo e surpreendeu o Frei Jesulino Pereira, convidando-o a se manifestar durante a audiência pública. “Eu fico muito alegre de estar aqui junto com os vereadores, com os nossos irmãos”, celebrou o frei. Ele relembrou histórias vividas pelos capuchinhos ao longo dos 80 anos em Conquista e região, comemorando o legado deixado por todos que passaram por essa instituição. “A história dos capuchinhos é uma história que traz muitas alegrias”, afirmou.

Kênia Nogueira Duarte e Marilande Batista, presidentes da da Comissão de Festa dos 80 anos dos Capuchinhos em Conquista também usaram a palavra. Marilande ressaltou que é “fruto da casa”, pois estudou no Paulo VI, onde também trabalhou por 24 anos. Já Kênia falou do desafio de remontar a trajetória da Ordem no município, vencido com a determinação dos membros da comissão. 

O vereador Nildo Freitas (PSC) destacou o trabalho realizado por essa comunidade religiosa e o serviço prestado à comunidade conquistense. “Estou muito feliz em participar dessa audiência pública e quero parabenizar todos os capuchinhos por esse brilhante trabalho”, afirmou. Nildo ainda relembrou a época em que transmitia as missas dos freis e trocavam experiências após cada trabalho executado. “É um lugar onde vemos o compromisso de proclamar a palavra de Deus e de realizar essa missão abraçada por vocês”, finalizou o vereador.

Ricardo Babão (PCdoB) afirmou que “aqui está em casa”, pois foi batizado, crismado e fez a 1ª comunhão na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, além de ter estudado no Colégio Paulo VI, por meio de uma bolsa de estudos. Ele pediu a construção de um espaço para a Pastoral do Menor, que já possui um terreno e materiais “esperando começar a construção”. O parlamentar ressaltou a diversidade da mesa de honra da audiência para afirmar que “política se faz com amor”. Babão ainda parabenizou a prefeita Sheila Lemos (DEM) por atender a todos, independente de sigla partidária. 

O vereador Edjaime Bibia (MDB) ressaltou a importância dos Capuchinhos em Vitória da Conquista e também comemorou os 80 anos da instituição no município. “A gente tem que agradecer a essa congregação, à comunidade católica, que se reúne para orar contra os males que nos aflige”, afirmou o vereador.

Chico Estrella (PTC), Líder do Governo, parabenizou a prefeita Sheila Lemos (DEM) que, para ele, vem “dando um show” nesse quase primeiro ano de mandato. Ele parabenizou a Ordem pelos 80 anos de presença em Conquista, destacando o trabalho de Frei Serafim do Amparo e também do Frei Egídio, que trouxe a Ordem para o município. Chico falou ainda do Papa Francisco que vem pregando a união e o respeito entre os povos, a grupos marginalizados como a população LGBTQI+.

A vereadora Lúcia Rocha destacou as obras sociais desenvolvidas pelos Capuchinhos e a importância deles para o crescimento do bairro Brasil. “As ações desenvolvidas pelos capuchinhos nos demonstra que, sua atuação, através de atividades de assistência social, dada pelas ordens, podem ir além do âmbito religioso, rompendo as barreiras da Igreja Católica e beneficiando toda a sociedade”, afirmou. Lúcia lembrou a chegada dos frades em Conquista e as obras que edificaram, como a construção da Igreja de Fátima. Emocionada, ela lembrou do acolhimento que teve dos Capuchinhos na época em que perdeu a mãe, aos 17 anos de idade. “Esse acolhimento foi tão importante para a nossa formação, que posso dizer que a minha história está diretamente relacionada à minha vivência dentro da Paróquia de Fátima”, pontuou. Lúcia encerrou o pronunciamento citando alguns religiosos que tiveram influência direta na sua formação cristã.

Frei Gilson explicou que a Ordem é um organismo religioso a serviço da Igreja, de inspiração franciscana, pois tem em São Francisco de Assis o ideário de vivência evangélica. Ele explicou que a Ordem está presente em cinco continentes, conta com cerca de 12 mil frades que atuam em diversas frentes. Ele ressaltou que neste momento de celebração, “renovamos o nosso compromisso de continuar anunciando o Evangelho nos trabalhos que nos foram confiados, de modo especial na Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Antônio de Lisboa, Seminário de Fátima e no Colégio Paulo VI”. 

O Frei ainda agradeceu à Câmara pela homenagem proposta pelo presidente Luís Carlos Dudé e aprovada pelos demais vereadores. “Vemos neste ato o reconhecimento de um trabalho realizado há oito décadas, cujos frutos podem ser colhidos nas diversas esferas”, detalhou. 

A prefeita Sheila Lemos (DEM) parabenizou o presidente da Câmara Municipal, vereador Luís Carlos Dudé (MDB), pela iniciativa em promover essa homenagem. “Eu fico feliz com esse reconhecimento, pois a história dos Capuchinhos se entrelaça com a história da nossa cidade”, afirmou. A prefeita falou da importância dessa Ordem e dos relevantes serviços prestados por essa comunidade religiosa. Relembrando a história dos Capuchinhos, Sheila destacou que a mãe dela, a ex-vice-prefeita Irma Lemos, foi aluna bolsista do Colégio Paulo VI. “Minha mãe veio estudar aqui como aluna bolsista assim que chegou na cidade, vindo da Lagoa de José Luís. Ela foi muito bem acolhida e somos gratos por isso”, disse. Sheila encerrou seu pronunciamento se colocando à disposição dos Capuchinhos e demonstrando gratidão ao lugar onde foi batizada.

 

 



  Live Offline
Rádio Web Câmara
Facebook
Calendário

Novembro 2021
15

Seg

Ter

Qua

Qui

Sex

Sab

Dom

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30